Vila Joya considerado o 45.º melhor restaurante do mundo

O restaurante algarvio do Vila Joya, que tem como chef o austríaco Dieter Koschina, foi considerado o 45.º melhor do mundo pelo World’s 50 Best Restaurants 2012. Esta foi a primeira vez que um restaurante português foi distinguido por este prémio, anunciado esta segunda-feira à noite numa cerimónia em Londres.

O World’s 50 Best Restaurants, que vai na 10ª edição, tem vindo a ganhar uma importância crescente, competindo hoje com as estrelas do guia francês Michelin. 

O restaurante nórdico Noma manteve o primeiro lugar.

O Vila Joya tem duas estrelas Michelin, distinção que em Portugal partilha apenas com o Ocean, de outro austríaco, Hans Neuner. No ano passado, tinha sido classificado, fora da lista principal, em 79.º. 

O restaurante português é todos os anos, em Janeiro, ponto de encontro obrigatório das estrelas da gastronomia mundial. O festival Tribute to Claudia reúne na cozinha de Koshina todos os chefs portugueses com estrelas Michelin e alguns dos mais famosos chefs internacionais também estrelados. Este ano passaram por Albufeira figuras como o francês Alain Passard, do L’Arpège, ou o italiano Massimo Bottura, da Osteria Francescana, ou o sueco Magnus Nilsson, do Faviken, estrela em ascenção da cozinha nórdica. Durante dez dias, Koshina, um entusiasta dos produtos portugueses e um motard conhecido por andar de Harley Davidson pelas estradas algarvias, torna-se o anfitrião de um festival que é já uma referência na “rota das estrelas” na Europa. 

Na lista do World’s 50 Best Restaurants destaca-se também a presença do D.O.M, de São Paulo, do chef Alex Atala. O top 10 ficou assim organizado: Noma (Dinamarca), El Celler de Can Roca (Espanha), Mugaritz (Espanha), D.O.M. (Brasil), Osteria Francescana (Itália), Per Se (EUA), Alinea (EUA), Arzak (Espanha), Dinner (Reino Unido), Eleven (EUA). 

Também conhecida como S. Pellegrino (marca de água que a patrocina), a lista do World’s 50 Best Restaurants tem mais de 800 profissionais internacionais da restauração, entre críticos, chefs e gastrónomos a votar. 

Na cerimónia, foram também distinguidos Elena Arzak como a melhor chef do mundo (prémio Veuve Clicqot), e Thomas Keller (French Laundry, Per Se de Nova Iorque), pelo seu contributo para a gastronomia mundial.

Fonte: Público

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s