Boavista reclama subida à I Liga no prazo de 90 dias

Conselho de Justiça da FPF deu razão ao recurso do Boavista, reivindincando agora João Loureiro o regresso da equipa à I Liga nos próximos 90 dias.

Quase 12 anos após os festejos do título nacional, o Boavista volta a sonhar com o regresso à I Liga no final da época, após dois anos de calvário na II Liga e três na 2ª Divisão B, asfixiado por falta de receitas e múltiplos processos por dívidas a jogadores.

Após três acórdãos do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa terem dado como inexistentes as deliberações do Conselho de Justiça que despromoveram os boavisteiros em 2008, o atual Conselho de Justiça decidiu, ontem, arquivar os processos que ditaram a condenação da equipa ‘axadrezada’, alegando precrição de prazos.

João Loureiro, que voltou a presidir aos destinos do clube do Bessa há dois meses, afirma estar “feliz por ter sido feita justiça”, sustentando que a direção da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) tem agora 90 dias para recolocar o Boavista na I Liga, sob pena “desta direção vir a ser responsável por perdas futuras”.x435

Além da reintegração entre os ‘grandes’, João Loureiro vai ainda reivindicar uma indemnização por danos e perda de receitas nos cinco anos que o clube esteve afastado da I Liga, cujo valor pretende negociar com a FPF.

João Loureiro garante que a decisão do Conselho de Justiça é um ponto final no pesadelo vivido pelo Boavista, após o arquivamento em 2009, “também por prescrição, do caso Bruno Paixão.

Casos prescritos desde 2007

Segundo o longo acórdão do Conselho de Justiça ontem tornado público, os factos da suposta coação aos árbitros Paulo Januário e Elmano Santos ocorreram em 2003 e 2004, estando praticamente esgotados os prazos na altura da instauração de processos disciplinares no âmbito do caso Apito Dourado.

“Num caso faltavam três dias e noutro 23 para a prescrição”, considera Manuel Santos Serra, sustentando ainda o líder do Conselho de Justiça que, como houve uma paragem processual de dois meses, os dois casos entraram em prescrição.

Santos Serra ressalva que o arquivamento dos processos ficou a dever-se apenas à prescrição dos processos disciplinares, que não se tratanto de ilícitos criminais caducam após três anos.

Tal como aconteceu há quase um ano, quando o Tribunal Administrativo de Lisboa deu pela terceira vez razão ao recurso dos Boavista, os adeptos acorreram ao estádio da pantera ferida para celebrar mais uma vitória na secretária.

O Expresso tentou sem sucesso contactar a Liga de Clubes, cuja Comissão Disciplinar ditou a despromoção do Boavista em primeira instância, e a FP Futebol, que remetem para mais tarde uma reação à possível subida do Boavista.

Quanto a João Loureiro, agendou para uma conferência de imprensa, hoje, às 16h30, no Bessa, mais informações sobre a estratégia futura do clube.

Fonte: Expresso

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s