Arquivo de etiquetas: portuguesa

A festa de Michelle diante Sharapova

Aos 20 anos, Michelle Brito alcançou esta quarta-feira vitória histórica no prestigiado torneio de Wimbledon, ao derrotar a russa Maria Sharapova, atualmente terceira classificada do ranking mundial. Michelle Larcher De Brito of Portugal reacts after beating Maria Shar

Uma grande surpresa, selada ao cabo de uma hora e 34 minutos no court número 2 do complexo All England Club, ao fim ao cabo não é todos os dias que Sharapova perde, muito menos diante de uma jogadora que ocupa atualmente a posição 131 do ranking WTA.

É verdade que a russa apresentou problemas físicos, chegou a pedir time out para ser assistida, mas nada poderá tirar brilho ao feito da jovem portuguesa, que recebeu muitos aplausos do público presente e fez questão de os agradecer de forma quase incrédula.

Fonte: A Bola

Igreja portuguesa de Olivença eleita “melhor recanto de Espanha”

A Igreja de Santa Maria Madalena, na Olivença de administração espanhola, venceu a competição que elege os melhores e mais pitorescos recantos espanhóis e reacendeu uma guerra antiga.

O passatempo “O Melhor Recanto de Espanha 2012”, promovido pela petrolífera Repsol, e que contou na sua fase final com votações online, elegeu na noite de quarta-feira este monumento do século XVI de estilo manuelino para o top de sítios a visitar. A igreja portuguesa que fica na Extremadura espanhola conseguiu, assim, destronar a Lagoa da Cigana (em Castela-La Mancha), que ficou em segundo lugar, e o Forau de Aiguallut (Aragão), o terceiro mais votado.

Mas a votação reacendeu, sobretudo, uma guerra antiga, com a comunidade portuguesa a mobilizar-se para eleger a igreja portuguesa. Tudo isto porque Olivença é palco de uma disputa, velha de mais de dois séculos, sobre ser portuguesa ou espanhola. Espanha anexou o território em 1801 mas ainda hoje Portugal não reconhece tal anexação desta cidade fronteiriça localizada na Extremadura espanhola, repleta de história e traços da cultura lusa, incluindo monumentos como a Igreja de Santa Maria Madalena (conhecida como Igreja da Madalena).

Uma disputa que desta vez se fez nas redes sociais. Pela Internet, vários foram os movimentos portugueses de apoio e incentivo ao voto na Madalena. Nomeadamente o Café Portugal, portal dedicado à cultura e tradições portuguesas e que mereceu até o apoio de Marcelo Rebelo de Sousa à iniciativa no seu espaço televisivo na TVI. E particularmente, tendo em conta a sua dimensão (quase 550 mil aderentes), o Descobrir Portugal, comunidade do Facebook que se redobrou em incentivos ao voto, justificando que “votar na catedral construída pelos portugueses é dar visibilidade a Olivença”. Do lado espanhol, a igreja também recolheu fortes apoios, com direito a divulgação pelo turismo e autarquia locais. 

Já nesta quinta-feira, num comunicado de reacção à eleição, o Grupo dos Amigos de Olivença alerta que “esta escolha, das quais se desconhecem os critérios, não será certamente inocente e deverá levar todos os portugueses a questionar quais os reais motivos dos organizadores do evento colocando um monumento tipicamente português como representativo de Espanha”. Para este grupo, a escolha representa mesmo uma “indecorosa tentativa de legitimação da ocupação do território de Olivença junto da opinião pública portuguesa”.

“Nem mesmo escamoteando a verdade se pode entender como pode uma catedral portuguesa, na nossa Olivença, ser representativa da Espanha. A igreja da Madalena nada tem de espanhol e ali nada há de estremenho”, lê-se na mesma nota, onde o grupo insiste que “Olivença é um território juridicamente português ocupado ilegalmente por Espanha”. 

“A escolha da igreja da Madalena é certamente vista por muitos portugueses, no mínimo como muito infeliz, no máximo como uma provocação a Portugal patrocinada pela Repsol”, conclui o comunicado.

Uma “jóia” do património
Segundo o resumo patrimonial do Turismo de Olivença, a Igreja de Santa Maria Madalena é considerada uma “jóia” oliventina e do património manuelino português. Data da primeira metade do séc. XVI e foi mandada construir para servir como templo do local de residência dos bispos de Ceuta. O bispado de Ceuta iniciou aqui residência em 1512, tendo sido estreada por Frei Henrique de Coimbra, confessor do rei D. Manuel e o primeiro a celebrar uma missa no Brasil. Falecido em 1532 e foi sepultado no templo (existe um túmulo de mármore no local).

No exterior, destacam-se falsas ameias, pináculos, gárgulas e a porta principal, com uma portada atribuída a Nicolau de Chanterene, artista que em Portugal, além de outras obras, criou a porta do Mosteiro dos Jerónimos ou um retábulo de mármore do Palácio da Pena. O interior divide-se por três naves com oito colunas que parecem evocar as amarras de um navio. Em grande destaque, os trabalhos em talha dourada do séc. XVIII, retábulos neoclássicos em mármore colorido e azulejaria.

Fonte: Público

Luísa Figueiredo vence bolsa para estudar doença do sono

Luísa Figueiredo continua nas bocas do mundo científico, a investigadora do Instituto de Medicina Molecular (IMM), de Lisboa, conquistou, esta semana, uma bolsa de €150 mil da Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO), duas semanas após lhe ter sido atribuído um outro prémio, o Prémio Crioestaminal 2010, no valor de €20 mil. Os dois prémios são atribuídos pela sua investigação da doença do sono.

O prémio agora atribuído é uma bolsa de investigação, a Installation Grant, e é atribuída durante três anos, com a possibilidade de uma extensão de €100 mil por mais dois anos. Esta bolsa tem por objectivo financiar a investigação que Luísa Figueiredo coordena na Unidade de Genética Molecular de Parasitas do IMM.

Luísa Figueiredo passará também a integrar o EMBO, Young Investigator Programme, uma rede de jovens cientistas, que promove a colaboração entre os seus membros. Neste programa, a investigadora portuguesa, encontrará outros dois investigadores do IMM, já premiados pela EMBO: Bruno Silva Santos e Tiago Fleming Outeiro.

A investigação que Luísa Figueiredo está a desenvolver, utiliza técnicas de biologia molecular e celular. O objectivo é estudar os mecanismos que controlam os genes necessários à virulência do parasita que provoca a doença do sono, desta forma poderá ser possível que, no futuro, se identifiquem potenciais alvos terapêuticos contra ele.

A doença do sono mata 66 mil pessoas por ano e atinge 300 a 500 mil pessoas em África. Caracteriza-se por uma súbita compulsão para dormir, recorrente e incontrolável, sendo transmitida através da picada da mosca tsé-tsé.

A EMBO, organização a que Portugal pertence, tem 55 prémios Nobel entre os seus membros e atribuiu, este ano, Installation Grants a seis jovens cientistas europeus, na área das ciências da vida.

Novela Saramago (ep.6353)

Na realidade, esta é uma verdadeira história de novela… daquelas mexicanas com dobragem brasileira, e o último episódio foi, bombástico…

Quando já todos estavamos resignados à ideia de que Saramago era um “exílado político”, que fugiu para Espanha de forma a fugir à perseguição que aqui lhe era feita, afinal era perseguido… pelos espanhóis.

Foi com esta verdadeira “bomba” que Pilar del Rio destruiu toda a ideia que tinhamos construído ao longo dos anos… (que desmancha-prazeres)

Segundo a víuva do escritor (que recentemente pediu a nacionalidade portuguesa…), “Saramago cumpriu civicamente com os seus deveres e, quando isto começou há dez anos, pediu auxílio ao Governo de Portugal, o primeiro-ministro de Portugal e o primeiro-ministro de Espanha disseram-lhe que estava resolvido”. “Por outro lado, houve alguém dentro do fisco espanhol que teve muito empenho em que isto não estivesse resolvido”.

Trata-de se um caso que remonta ao final dos anos 1990. Em Abril, um tribunal condenou o escritor a pagar os seus impostos em Espanha e não em Portugal, por entender que a sua residência fiscal se encontrava naquele país. Em causa está o pagamento de 717.651 euros ao fisco espanhol, referentes aos anos de 1997, 1998, 1999 e 2000, em que o escritor pagou os seus impostos em Portugal. Em 2008, o Tribunal Económico Administrativo Central espanhol entendeu que o escritor vivia permanentemente em Espanha (em Tías, Lanzarote) e que aí devia responder perante o fisco. É desde então que se arrasta este processo. (Fonte: Público)

Podia pensar-se que a morte de Saramago seria o fim de todas as “perseguições” mas, afinal, agora até já os espanhóis nos querem roubar a dor de ter este nome associado ao país.

Cá por mim, Pilar que continue por Lanzarote. Não tarda muito ainda vemos esta dívida ser paga com um qualquer fundo da cultura, em nome da Fundação do escritor.


Já começa a ser demais…

A saga Saramago parece não ter fim, mesmo após a sua morte, os episódios infelizes continuam a suceder-se a um ritmo absurdo.

Depois da polémica com o pagamento (ou não pagamento) de impostos em Espanha, eis que Pilar del Rio, viúva do escritor, vem anunciar a intenção de adquirir a nacionalidade portuguesa.

Segundo declarações ao jornal O Globo, do Brasil, Pilar justifica esta intenção para “pertencer ao país que produziu um homem tão bom, tão sábio, tão simples, tão exemplar”, deve é ter tido um ataque de amnésia no que diz respeito à forma como Saramago olhava para o seu país de origem.

O mais provável é que este pedido seja diferido e Pilar obtenha mesmo a nacionalidade portuguesa, a mim, só me resta uma dúvida, será este mais um exercício para fugir aos impostos em Espanha?

Não sendo essa a razão, não vejo outra…

Haja bom senso e ponderação. Não somos um país para “exílios” oportunistas e de falsas pretensões.

Termino este post com a memória de um poema de Almada Negreiros, que José Manuel Fernandes tão bem reproduziu no Facebook, a propósito desta mesma notícia…

O Dantas saberá gramática, saberá sintaxe, saberá medicina, saberá fazer ceias pra cardeais, saberá tudo menos escrever que é a única coisa que ele faz! (…) Se o Dantas é português eu quero ser espanhol!”